29 julho 2016

antes de sair para a farra ...


O que pode acontecer quando "se dá um tempo" é tanta coisa ... morrer de saudades e estar tristíssima porque te falta o outro; ter algumas saudades, em alguns momentos mas também ficar aliviada com todo o espaço que há agora e tudo à minha moda; dormir de janela aberta, viver de janelas abertas; repensar o possível futuro, a cabeça às voltas, em piruetas, fazer muitas contas, assustar-se perante tantos panoramas possíveis: económicos, de solidão, de falta de rede de segurança e apoio que dava o outro; não saber o que será se, de novo, me tirarem a decisão ...
mas também poderei ser eu a dizer que mais daquilo não quero, que foi chão que deu uvas e quero aquele outro de volta, aquele por quem me apaixonei ... e se esse já não voltar porque já não existe? quereremos ambos ver se há brasas ainda e podem/conseguimos passem a chama ? quererá apenas um? nenhum dos dois?
Cada vez mais, a minha vida é dia a dia, com toda a novidade pela frente que, como sempre, poder ir de 8 a 88

Férias #3


... e no fim da tarde de ontem ainda vi



- Dia 7 ler de manhã. Cozinhar coisas boas e diferentes


Feijão azuki, alga kombu, champignons, plethorus, cenoura e coentros. Congelar para o futuro pois faltou-me a fome! Lanchei duas tranches de atum vermelho fresco recheadas de champignons e gambas!!!

Pintar parede e rodapés do patamar nosso andar. Acabei de tirar as flores que ainda não tinham caído da parede

Ler mais.
Estar de férias de verão pode ser gozar o sol e o calor desde o conforto e frescura de casa, fazendo coisas que me dão prazer sem ficar cheia de alergia ao sol. Tenho que aceitar que a praia é limitada para mim porque de outra forma viro chaga viva de tanto me coçar

- noite : tourada mista em Salavaterra - experiências novas em belíssima companhia


28 julho 2016

Férias #2 so far



- dia 1 de calma para carregar tralha e carreganço de carro, bicha para sair de Lx, trânsito inusitado, almocinho e compras no sítio do costume com a caloraça do costume. Chegada ao destino, felicidade. Uns praia outros no chill out. Primeiro dia bom
- 3 dias de praia e convívio bons. Mar quente, praia sem vento, alergia ao sol quase nenhuma (ainda) - muito bom, picadas mosquitos uma por noite - razoável.
Ánimo pra cima
- dia 5 estoira a merda, de onde não se desconfiava, e interrompo férias, cinco dias diferentes e giros para o galheiro porque primeiro a minha família. Convicta. Emocionada, triste. Regresso a casa. Aviso de: cheguei e desafiável 
- dia 6, dois recomeços. Começo a ficar perita. Cedo compras de tudo (daqui a uns dias acaba o mês, muitos regressam e todos são pagos... supermercados à distância - mandatório!). Arrumar, cozinhar sopinha saudável e feijão azuki com cogumelos, gelatina. Lista de tarefas necessárias e prazenteiras. E à tarde veremos...

22 julho 2016

Scarabeo Camp - amo ser deslumbrada #2


Não é uma fortuna como diz a Mulher Mistério! Eu também poupava para ir caso houvesse companhia!




que simplicidade e gosto!



em todos os detalhes



Scarabeo Camp no meu querido Marrocos

20 julho 2016

Floordrobe & Chairdrobe



já não me lembro se já publiquei estas fotos que encontrei sabe-se-lá onde aqui pela net.
guardei-a poque acho o máximo e se aplica ...




19 julho 2016

ver telejornais, conversar e formar o infante


Já algumas vezes pensei se esta decisão de não voltar a ver telejornais e saber apenas das "gordas" pela net, não será má ideia para o D.
O H também não vê mas lê tudo online e jornais de vários países, mas claro não falamos à mesa do jantar (o local do convívio diário) sobre praticamente nada e quando o fazemos, é naquele momento em que ficamos os dois na palheta e o D já fugiu a correr para os seus múltiplos afazeres e "encontros" online
Quando li este post voltei a esses pensamentos. Uma das situações que me formou, foi em casa os pais não conversarem sobre actualidade, política, ou quase nada!!! Dos aviões o pai trazia jornais e revistas em espanhol para a mãe, lembro-me de gostar de ler o Cambio 16. Sempre comecei pelo fim, pelas crónicas da jornalista... a memória agora... Depois passava para a cultura e algo internacional e mais nada.
Nunca gostei de política, não percebo nada de economia e, já ultimamente, deprimem-me estas descobertas de corrupções a torto e a direito, esta gente que só pensa em si, no seu bolso e network. Não sabem o que é Serviço Público, pensam apenas em arranjar "tachos", etc, etc.
Mas claro, o D fica sem ouvir falar sobre estes temas, fica sem aprender a argumentar, a questionar...
Mais um falhanço!

15 julho 2016

não há coincidências #5

11.07
hoje lembrei-me de voltar a passar pelo Pais com P grande e porque lá se fala de felicidade e, neste último post em concreto, sobre dias de tempestado no mar, não há coincidências.
hoje estou infeliz, desanimada, cansada, com vontade de dormir muitos dias ou desaparecer sem mais responsabilidades.
A Sofia Vieira diz que «a felicidade aprende-se mais nos dias de dilúvio» ela opta por ser âncora, por ainda estar grata por tudo o que é e todos o que tem
Vinha eu por aí á hora do almoço a pensar que até tenha tido uma vida social ocupada e isso contrabalançou o resto dos dias difíceis que aconteceram ... e depois ia escrever aqui mais em detalhe e profundamente mas tive que interromper o monólogo ...

continuando
15.07
Estou a portar-me bem. As segundas-feiras têm sido difíceis, não sei por qué, especialmente a última, mas depois os dias melhoram e eu tenho-me "aguentado bem à bomboca"! expressão foleira de há anos!!!
E tenho sido eu, não tem sido o apoio dos amigos, que sería de onde eu esperaria normalmente a força, o ánimo e distração. Salvo em 2 momentos, tenho sido eu a enfrentar o que me aparece pela proa
A spirulina, a maca devem estar a dar fruto LOL

Moi


08 julho 2016

as minhas batalhas, o meu caminho


uns dias mais escondido que outros


este tem sido um dos meus compromissos comigo própria 


para mim, por mim e pelos que me rodeiam

ela a propósito de outros temas, mas não só, diz, e eu concordo

«... o namoro comigo mesma é para a vida inteira e a minha decisão é cuidar muito bem de mim ...» e as mensagens diárias que lhe fazem bem são-nas também para mim

# Pratica a consistência como um lema de vida
# aceita-te sempre
# rodeia-te (só) das pessoas certas
# faças o que fizeres, sê feliz



07 julho 2016

amo ser deslumbrada



ou melhor, adoro que me deslumbrem! admiro pessoas criativas. pasmo com o que alguns se lembram de misturar e de fazer
o belo faz-me feliz. e o bonito. e o novo. é muito subjetivo, eu sei.
mas desde uma música que me comova ou me faça dançar, a uma sala decorada no estilo sobrio e minimalista Alentejano, a um quarto rústico que se vê na Côté Sud, a um jardim com apenas verdes ou com cores de flores também... e a tantas outras coisas
uau para esta apresentação! uau para as pessoas detrás deste jantar


                       via Grupa

e para as detrás deste filme



e para quem cria arranjos destes que se fizeram na Sociedade


e porque dentro do meu possível quero viver o belo, cada vez faz mais sentido esta minha nova ideia ...

05 julho 2016