31 Agosto 2014

Lx à noite

Mercado da Ribeira

cheio mas já não a abarrotar


«Perdi o coração em Lisboa» o novo show multimedia 3D da Praça do Comércio.
Tem partes boas, como nos anteriores mas... o primeiro no Verão passado foi espectacular, depois disso... Este é mais "conceptual" mas continua a ser uma noite bem passada. Estava muito vazio, fiquei espantada depois do êxito dos anteriores







29 Agosto 2014

Vihls





muito interessante o trabalho deste artista. muito bom.
este tipo de trabalho recordou-me o Vik Muniz













descobrindo o YouTube


   
Florence and the Machine

 há muitos anos registei-me pois entendi que para o usar precisava de o fazer.
nunca lá fui durante ... anos
mais recentemente, cada vez que vou ver um link dum filme ou música ele abre-se na boa sem precisar de entrar na minha página - pelos vistos tenho uma! Percebi-o quando o meu Infante começou a aspirar ser «YouTuber» e me explicou o que isso é.
ultimamente, cansada da música de fundo dos canais de rádio enquanto trabalho, comecei a procurar os Mix do YouTube - fixe! excepto os que têm os anúncios pelo meio :(
mais ultimamente tenho gostado de bandas sonoras de filmes (de adolescentes, ah ah ah) procuro-as no YouTube e comecei a descobrir novos grupos e estou encantada! até já ouço algumas coisas que o dito YouTuber de 15 anos também gosta !
(ando a reflectir sobre esta vieja verde em que me estou a transformar...)


A Great Big World


Ellie Goulding

Começa a cheirar a Outono


25 Agosto 2014

sobre a arte de estrelar ovos


«Infelizmente é raro perguntarem como é que queremos os ovos estrelados. Sugiro que se adopte o sistema norte-americano.
Sunny side up (ovos fritos só por baixo): com a clara mal passada; com a clara sólida; com a clara estaladiça e bem frita; com a gema líquida; com a gema escaldada (75% líquida); com a gema meiotermo (50& líquida); com a gema bem passada (25& líquida); com a gema sólida (100% sólida). São apenas oito variações (há mais) mas os resultados são muito diferentes. A cozedura da gema é controlada com colheradas de gordura e com a tampa da frigideira.
Sunny side down (ovos fritos dos dois lados): A clara fica sempre bem passada e a cozedura da gema é controlada pelo tempo em que fica a fritar.
Os americanos dizem over easy quando querem a gema líquida; over medium quando querem
a gema meia-sólida e over well quando querem a gema sólida.
Esta selecção de estilos, diga-se, está disponível desde os estaminés mais rascas até aos
bons restaurantes. Ainda por cima, as coisas complicam-se quando se trata de escolher as gorduras. O sabor e a textura do ovo estrelado são muito afectados pela gordura.
Se os ovos são especiais (criados ao verdadeiro ar livre, com total liberdade de movimento), vale a pena escolher um óleo neutro, sem sabor (como o óleo Fula). Os ovos estrelados em manteiga
são deliciosos mas sabem obviamente a manteiga e as claras nunca podem ficar muito louras e estaladiças, a não ser que se use manteiga clarificada (à francesa) ou ghee (manteiga clarificada à indiana). Também se pode fazer o desenrascanço de misturar manteiga com óleo. É muito português usar duas gorduras – uma das quais é margarina Vaqueiro. Pense-se o que se
pense da margarina, muitos dos melhores ovos estrelados (e inúmeros outros pratos) que já comemos tiveram quase de certeza um toque de margarina Vaqueiro.
Os franceses, depois de estrelar os ovos em manteiga, ainda derretem mais um bom naco de
manteiga fria em cima dos ovos, não vá passar despercebida a manteiguinha.
Os ovos estrelados em azeite podem ficar com a clara estaladiça e o sabor do azeite nunca é dominante. É capaz de ser a minha maneira favorita de estrelar ovos, por ser tão fácil controlar a fritura. Eu gosto da clara muito estaladiça e da gema completamente líquida, pelo que frito primeiro a gema e só mais tarde deslizo lá para o meio a respectiva gema.
Uma vez, num fórum da eGullet, à conversa com o maravilhoso Jeffrey Steingarten, o crítico gastronómico da Vogue, perguntei-lhe como é que ele estrelava ovos e ele, que sabe tudo, respondeu: “Está bem, está: não há pior pergunta para revelarmos a nossa ignorância, porque cada pessoa tem uma maneira favorita de estrelar ovos.”
É verdade. É pena que nós – a maioria dos consumidores portugueses, sem jeito para
cozinhar – não tenhamos todos maneiras predilectas de estrelar ovos. Quando muito dizemos malpassados ou bem-passados.
Infelizmente, para muitos e maus, ovos estrelados são ovos estrelados, feitos para andar “a cavalo” de outras coisas.
Só quem nunca comeu dois ovos bem estrelados, só com flor de sal, pimenta acabada de moer e um bom bocado de pão, é que pode pensar que dois ovos estrelados não são, só por si, um prato maravilhoso.
Ultimamente as gorduras de origem animal têm vindo a ser redimidas e, mesmo que não sejam tão saudáveis como as vegetais, é inegável que os ovos estrelados em banha de porco são deliciosos.
A maneira inglesa de obter a banha é através da fritura de tiras de bacon. Pode até começar a fritá-las numa frigideira seca ou só com um fio de azeite. A gordura líquida que se soltará do bacon é ideal para estrelar ovos. Basta tirar o bacon e deixar os ovos espalharem-se.
Ficam espantosos. Até pode não “reservar” o bacon, como pretensiosamente se diz: pode até deitá-lo fora. Já não é preciso.
Ficou o que mais interessava: os dois ovos estrelados.»

(o texto veio daqui)
e lembrei-me que eu a d o r o ovos estrelados! é o mimo com que me presenteio, creio que nem uma vez por ano, sobretudo quando estou sozinha e com vontade de algo... especial, algo bom.
Como boa espanhola, em minha casa na há cá cozinhar com Vaqueiro, só azeite - a melhor gordura.
Et à propos, de ovos estrelados e as diferentes formas de os cozinhar em cada país, em España são uma arte e um prato nos restaurante, nada como diz o MEC para "andar a cavalo". Na casa materna estrelam-se como na casa dos Avós, quando o azeite está quente, partem-se lá para dentro, tempera-se com sal grosso, coloca-se uma tampa (de panela) em cima e desliga-se o lume. Uns segundos depois, 30, sei lá, está frito e tem a clara feita, durinha, saborosa e com os bordos dourados e a gema está líquida, para se poder molhar o pão uhmmmmm. Tal e qual como na foto. Do melhor!
Cá, na minha outra metade de terra e costumes, os ovos estrelados são quase, quase sempre uma boa treta!
O mais normal é virem com a clara meio por fazer com aquela nhanha asquerosa. Voltam logo para trás e depois vêm cozidos! O mais seguro é ser precavida e dar a explicação detalhada, pois embora para mim seja A forma de servir os ovos estrelados, ele há gente para todos os gostos.
Há anos dissertava sobre a forma de fazer uma boa torrada, só as como em lugares em que sei que as fazem bem, como eu gosto, de outra forma é curioso como isso me deixa irritada e prefiro come-las em casa. Com os ovos passa-se o mesmo
10:53 e eu a salivar...

22 Agosto 2014

sobre a construção de si

Que quereria dizer Camus, quando escreveu: “Cada homem tem de descobrir a sua casa”? Penso que a frase longa esconde um repto mais essencial: cada pessoa não tem apenas a tarefa de descobrir uma habitação. Cada pessoa tem o irrecusável dever de descobrir-se, vivendo com paixão e sabedoria a construção de si, esse processo que, por definição, está em aberto e que ao longo da existência se vai efetivando. Nós somos a nossa casa. E poder dizer isso, com simplicidade e verdade, equivale perpetuar aquilo que Albert Camus também escreveu: “No meio de um inverno, finalmente aprendi que havia dentro de mim um verão invencível””
O Hipopótamo de Deus
de José Tolentino Mendonça
e eu me descubro cada vez mais conhecedora e consciente de mim e cada vez mais cheia de falhas e problemas e apelido de crise dos 50 este turmoil (agitação/perturbação/turbilhão/desordem) em que vivo e para o qual ainda não encontrei calmante nem solução



21 Agosto 2014

LISBOA na rua 2014




vale muito a pena porque há jazz, filmes, fado, instalações várias, big bands... e tudo nas ruas da nossa bela Lisboa
inté jazz

18 Agosto 2014

férias

























Regresso ao trabuco

O original

o meu

e a receita:
2 maçãs 
1 colher de chá de açúcar amarelo
sumo de 1/2 limão
1 colher de sopa de canela em pó
1 colher de café de gengibre fresco (ralado)
1 punhado de amêndoas com pele
2 colheres de sopa de aveia
1 iogurte grego (ligeiro)

Lavar as maçãs e partir em fatias (deixar a casca). Polvilhar com o açúcar, o sumo de limão, a canela e o gengibre. Misturar bem e levar ao microondas por quatro minutos. Retirar, mexer, deixar arrefecer um pouco, polvilhar com a aveia, o iogurte grego, as amêndoas e um pouco mais de canela em pó.

Muito bom!

11 Agosto 2014

Até ao fim do mundo

de Maria Semple




há uns quantos anos que começo livros e não acabo. Não me prendem e não insisto viciada em Audiobooks. Este devorei-o em 2 pedaços de dois dias. 
"O cérebro é um mecanismo de desconto do futuro. Digamos que há uma rachadela no para-brisas do teu carro e ficas mesmo incomodada. Oh, não, o meu para-brisas está estragado, mal consigo ver lá para fora, é uma tragédia! Mas como não tens dinheiro para o mandar reparar, continuas a andar com o carro assim. Daí a um mês, alguém te pergunta o que aconteceu ao para-brisas e tu dizes "O que queres dizer?" Porque o te cérebro "descontou-o". É para sobreviver ... Precisas estar preparada para experiências novas, porque muitas vezes elas indicam perigo. Se vivermos numa selva cheia de flores perfumadas, tens de te deixar sentir tão avassalada pelo perfume maravilhoso, porque de outra forma não conseguirias sentir o cheiro de um predador. É por isso que o cérebro é considerado um mecanismo de desconto. É literalmente uma questão de sobrevivência. "

Foi um prazer estar de novo agarrada a um livro em papel e voltar para a cama de manhã com ele pouco depois de acordar ou nem me ralar com a credencia no meio da sala desmanchada à espera da patine que a dê por terminada

24 Julho 2014

férias, quase, quase


 Foto de Tommy Ingberg

a semana que antecede as «férias grandes» é enoooorme, os dias passam lentamente e a sexta-feira nunca mais chega. é tudo ansiedade, eu sei mas ainda hoje é quinta!
o trabalho abrandou e a minha cabeça está assim, completamente no ar e a querer levantar para outros vôos

22 Julho 2014

as tecnologias e a sua não necessidade






vivemos na era da comunicação. e rápida. quanto mais rápida melhor.
e cada vez dependemos mais desta possibilidade fácil de entrar em contacto.
como tudo, é bom ter mais possibilidades
falo de telemóveis e os novos serviços de que vamos dispondo.
uso o meu muito principalmente a nível particular e quando é em trabalho, rarissimamente tenho "fogo no rabo" com os assuntos em questão, pelo que fico muito contente por ter podido desactivar serviços extras que me proporcionam e que não só não preciso como me incomodam.
e não é vulgar de Lineu a minha questão, não pensem que é (olha eu a fingir que sou lida ;). há que dispor de paciência e sobretudo de tempo. ter tempo é decisivo. não é novidade que tudo o que se faz pelo telefone implica teclear várias vezes e ouvir música chatíssima. nada de novo, hoje todos os serviços funcionam assim.
depois de tudo isso, expliquei o meu pedido e o rapazinho prestável lá foi fazer a sua magia. conversámos em quanto a nova programação ficava activa. acabámos conversa, desliguei, introduzi pin e liguei para um nº fixo para fazermos o teste. à primeira foi pior a emenda que o soneto! tive que voltar a explicar a situação e o que pretendia de novo, com calma e boa disposição. eu peço coisas que ninguém se lembra! 
bom, o processo repetiu-se 3 vezes, mas chegámos lá :)
eu nunca tive «chamada em espera». não concebo que estando ao telefone com alguém, tenha que interromper para ver quem é o outro alguém e escolher com quem falo! liguem-me mais tarde, estou ocupada!
neste caso, agora e de futuro, sempre que alguém me ligar e me apanhar já na palheta com outro alguém, euzinha não serei interrompida por um som que me fazia afastar o telelé da orelha e ver que tinha uma mensagem a dizer que o nº tal me tinha tentado contactar. e eu ralada! quero que do outro lado saibam, pelo sinal, que eu estou "interrompida" e prontossss, liguem mais logo.
 chega de informação! neste caso, menos é mesmo mais!

21 Julho 2014

Água para ir bebendo

com muito gelo


2 litros de água
sumo de 2 limões (deixar alguns pedaços da casca)
1 colher de sopa de mirtilos
1 colher de sopa de framboesas
1 colher de sopa de amoras
1 pau de canela (ou flor de anis - vou alternando o sabor, sendo que nada bate a canela)
1 colher de chá de gengibre (fresco) ralado
1 mão cheia de folhas de hortelã/ou alecrim, ou tomilho-limão, vou variando
1 colher de chá de açúcar de côco (ou mascavado)
gelo picado (muito)

Misturar tudo, levar ao frigorífico para repousar e ficar mais fresco. Ir bebendo ao longo do dia. 

Eu - em casa ou

a atracção e admiração pela Natureza (formas incríveis e cores fabulosas)