19 janeiro 2017

Anedótico

Um cinquentão, careca de comprar sozinho blasers e fatos, que durante anos foram a sua farda diária de trabalho, vai com o filho adolescente comprar o seu primeiro blaser. Começam as festas dos 18 anos de todos os amigos e amigas.
Não pede ajuda ao Sr de turno na loja que está habituado a avaliar tamanhos, não lhe passa pela cabeça que filho deve experimentar blaser sem sweatshirt por de baixo e nem usa a sua experiência para porra nenhuma acabando por comprar um casaco estilo "era más grande difunto"!!!
Conclusão: Foi necesario voltar à loja e trazer um 2, dois (!) números abaixo ! Quem teve que ir, quem foi?


18 janeiro 2017

Smokefree


Os dias estão cheios de decisões, não é novidade. Botins ou ténis? Peixe ou carne? Ligo hoje ou amanhã? Chateio-me ou deixo andar?
Os anos  e o acumular deles, aumenta os desafios que a vida nos apresenta. Ou não aumenta e apenas os continua a mudar, não sei. As batalhas e as guerras variam também mas não desaparecem. Sería até aborrecido se não tivessemos que lutar, ressalvando que é bom ter conseguido atingir patamares de conhecimento, domínio, amizade, e por aí fora, em variados campos mas nada é estático nesta vida e os volteface acontecem

Há 1 ano deixei de fumar. Ainda me dava prazer, não queria deixar de o fazer, mas estava descontrolado, a servir para o que não devia e nem sequer para isso servia! Todos os fumadores, mesmo que não fumemos muito, como eu, temos a noção de que a metade das vezes puxamos dum cigarro já por hábito ou por não ter nada melhor que fazer naquele momento. Eu aprecio a coerência, nem sempre a alcanço, mas tento (smily face) e esta incoerência da minha vida estava já a incomodar-me demasiado pelo que no dia 17 quando acabei o maço, decidi: não compro mais! E foi há 1 ano (muitas smiley faces)
Do que mais me orgulho foi não ter caído no segundo semestre, quando a minha vida piorou mais um degrau este passado ano (tenho a teoria dos "degraus da vida" que um dia exponho).  No primeiro foi complicado deixar e houve que somar os dificéis momentos pelos que atravessei com os pais, ataquei no chocolate (sad smile) mas no segundo, quando me tocou a mim viver o difícil não recorri, não me apoiei, não me apresentei essa desculpa para voltar a fumar. Estou livre dessa muleta. Ganhei!


16 janeiro 2017

novo ano


aos fds tenho passeado pela cidade e iphotografado


é chato quando os outros não vão na mesma onda


e têm que esperar por nós, o iPhone é rápido


a horta cansa mas dá muito gozo


o infante é uma grande companhia e O amor da minha vida (o único tão incondicional como o dos pais)


alinha em "experienciar" comigo


o tempo tem estado maravilhoso para passear (e secar sapatos!)



13 janeiro 2017

o que nos separa acabou mesmo por nos separar



... e fiquei hoje a saber que também outro casal mediático se separou - Ana Galvão e Nuno Markl. No comunicado que ambos fazem acabam a dizer algo muito importante, sobretudo quando há filhos de por meio

«que nunca se acabe a comunicação entre quem ama. Mesmo quando o amor acaba. Ou se transforma noutra coisa»

e acrescento eu, porque é um desperdício entre duas pessoas que partilharam uma vida em comum com tanta coisa de boa!


















Gostei




que forma mais assertiva e concisa de comunicar a da Ana ! ("tinha" que dizer, e disse o suficiente e com classe)

05 janeiro 2017

Marcos

Faz hoje, ou por estes dias, que há 18 anos conheci os melhores amigos do H e que felizes anunciámos a nossa gravidez
Hoje vi na parede da casa de uma amiga uma fotografia do casamento dos amigos onde nos conhecemos e a faísca surgiu.
São muitos anos pelo que este tipo de datas e acontecimentos vão dar-se muito.
Um dia serão momentos, recordações ou dias sem emoção, apenas dados da minha história

15 dezembro 2016

desejos




a este volto recorrentemente e... ou não dá jeito (€€) ou não tenho espaço já na mala ou é pequeno e não me vai caber nada ... mas é paixão e acabará por cair um dos modelos...







13 dezembro 2016

as emoções que a razão desconhece



o que diz de mim ou de nós quando arrumo o resto da tua roupa num só armário e estou contente por ficar com outro mais para mim e nem sequer se me ocorre encontrar-te na persistência do teu odor numa camisa?
ou quando à noite adoro ter a cama lisinha e esticada e nem procuro com os pés o teu calor?
o que dizer do que gosto de voltar a fazer da nossa cama o playground de há anos, de quando o infante era pequeno e nós chegados e aí nos reuniamos para as mais variadas actividades de amor, e não estranho a tua falta?
ou de como na cozinha ou no corredor não me faz falta cruzar-me contigo ...
é triste.
isso é o que sinto ainda a maioria dos dias, tristeza profunda
porque não entendo como fomos capazes de chegar aqui. porque não entendo a tua actitude.
e sinto dor, muita dor porque me sinto enganada, desrespeitada e abandonada.
e não entendo.
e doi-me o futuro que não vai acontecer e confesso que também me dói muito imaginarte abraçando outra


and didnt do a shit about it!




12 dezembro 2016

lutando, sobrevivendo #2



duas semanas de 4 dias, esta o mesmo e depois 15 de férias. uauu, ótimo dezembro. mesmo assim ... está de gesso! trabalho focado em estar bem - não chega. deixar passar o tempo porque só com o passar lá chegarei - custaaaaa.
cansada desse trabalhar, desse forçar, cansada da tristeza e da dor

24 novembro 2016

22 novembro 2016

Catarse ou Exorcizando




Estou exausta!
Segundo meltdown em 5 meses.
Este totalmente dirigido ao H.
Perdi o pé, deixei-me levar e só gritei as palavras que me saiam e doiam.
Exprimi a dor enorme que me invadiu, a que habita diáriamente comigo há 5 meses.
Deixei-me levar pela corrente e turbilhão das emoções totalmente avassaladoras. Não estou habituada a ser ou deixar-me ser assim. Assusta.
Assusta sentir tanto, sentir tão diametralmente oposto, não saber o que pensar.
Assusta-me o presente e o futuro.
Assusta-me ter magoado.
Assusta-me sobretudo não entender. Porque preciso tanto de entender tudo? Porque preciso de razões, de causas e efeitos?

21 novembro 2016

Grace & Frankie



O D e eu vemos a nossa série e depois é o meu tempo sozinha e divirto-me muito com esta outra
Adoro a luz desta casa com estas janelas fantásticas. Quero uma assim com uma mezzanine na próxima vida! 😍

17 novembro 2016

o mundo em aberto


dei com esta frase por aí, não li o livro «É proibida a entrada a quem não andar espantado de existir»
José Gomes Ferreira in "Aventuras de João sem medo"

não sei se podemos andar sempre espantados por existir, mas pretendo não perder essa qualidade de me espantar com o existir, com tudo e todos os que existem. ciclicamente recordo-mo