27 outubro 2009

Roberto Boltaño



«para se ler sem rede - como num sonho em que percorremos um caminho que nos poderá levar a todos os lugares possíveis.» Ed. Queztal

26 outubro 2009

desaparecida (daqui)


não é que ande a fotografar muito
e esta, óbviamente, não é minha porque sou eu
mas gosto dela
e foi uma bela noite de verão

20 outubro 2009

Fun Can Obviously Change Behavior For The Better


via Laurinda Alves, dois filmes com ideias da Volkswagen, aonde não se fala de carros, e sim de ideias giras e comportamento ecológico

A VER

e

14 outubro 2009

The Wave



A Onda (The Wave) de Susie Lee ganhou o Best Illustrated Children's Book 2008
vi, amei e comprei na loja da Casa das Histórias (Paula Rego) em Cascais
Sem texto, desenhos a carvão muito simples e o mar azul...
é tão BONITO

13 outubro 2009


Joaquín Sorolla
fds do melhor a passear a pé pela costa e a banhos
dias e temperatura da água tão melhores que na maioria dos dias de verão no Guincho e Abano!
uma delicia
ah e Os Abrazos Rotos também vale muito a pena

09 outubro 2009

nova palavra

solipsista - partidário do solipsismo solipsismo s. m. (solipso + -ismo) s. m.Vida ou hábitos de solipso ou de indivíduo solitário este livro de Alan Bennet é uma delicia! lê-se super bem e é pequenino, recomendo vivamente

07 outubro 2009


há dias em que não sei...

mas tive a ideia de ir andar

às vezes esqueço-me

da sorte que tenho de estar onde estou

e ainda coloquei uma andorinha no vidro da minha janela com as nuvens, arvoredo, telhado do casario e baía de fundo
; )


02 outubro 2009

The IKEA Way


Eu acho muito interessantes todas estas medidas e achegas à sustentabilidade do mundo e à melhoria da qualidade de vida de todos
A Responsabilidade
A Lista do Progresso

“Menos é mais”, não é suficiente. Os designers da IKEA precisam constantemente de fazer “Mais por menos”. Trata-se de desenhar primeiro uma etiqueta de preço e depois procurar soluções e inovações para optimizar o material e tornar o produto o mais plano possível, e assim, ter o menor impacto possível no ambiente. A construção alveolar da nossa mesa LACK e o sistema de arrumação BESTÅ são dois bons exemplos da ajuda do design para minimizar o uso de recursos e tornar o produto fácil de transportar.
O formaldeído é um composto químico muito comum presente, por exemplo, na água, fruta e madeira, mas também pode ser adicionado através de processos industriais.
Para evitar problemas de saúde, existem requisitos rigorosos no uso de formaldeído em móveis. Queremos que os níveis de emissões de formaldeído nos produtos de madeira da IKEA sejam iguais aos níveis da madeira natural.
Assim, começámos por deixar de utilizar, nos nossos produtos, vernizes à base de formaldeído (1993). Em seguida, removemos o formaldeído dos sistemas de cola utilizados para colar superfícies folheadas. A mesa para portátil DAVE, por exemplo, tem uma placa de fibras no tampo, o que contribuiu para reduzir as emissões de formaldeído em cerca de 40%. Os níveis estão agora significativamente abaixo dos requisitos da UE
Nenhum copo vendido na IKEA possui chumbo. Em 1994, decidimos acabar gradualmente com o uso de chumbo nos cristais, um metal tóxico altamente prejudicial.
Na Polónia os castanheiros estão em perigo por causa do insecto “Cameraria Ohridella”, que destrói as árvores. A IKEA juntou-se há dois anos ao “Poland Chestnut Tree Rescue Project”, para ajudar a coordenar a colecta de castanhas que caiem, por crianças, escolas, jardins-de-infância, clientes e colaboradores IKEA, cada Outono.
As castanhas recolhidas são vendidas a companhias farmacêuticas e o lucro é usado para comprar injecções de insecticida para as árvores. Graças ao envolvimento da IKEA, o projecto tornou-se extremamente popular, e em 2008 foram recolhidas quase 40 toneladas de castanhas. 372 árvores receberam injecções e milhares de árvores foram tratadas sem injecções, através do trabalho manual, como a queima de folhas secas
Às vezes as viagens de negócio podem ser substituídas por soluções técnicas, como reuniões virtuais, por exemplo conferências por vídeo chamada. Na IKEA trabalhamos para reduzir as viagens de negócio. Isso irá reduzir custos e o impacto ambiental, e melhorar o equilíbrio trabalho/vida pessoal dos nossos colaboradores. No FY08, pela primeira vez os custos de viagem foram reduzidos em 20% quando comparado com o ano anterior. Consequentemente, a quantidade de emissões de CO2 diminuiu e agora estamos a tentar encontrar um método para medir os efeitos.
Todo o café vendido e servido na IKEA tem um certificado UTZ, isto significa que é possível rastrear o café que bebe até à origem, através de um código na embalagem. O certificado UTZ é emitido por uma organização independente e sem fins lucrativos, que estabelece padrões sociais e ambientais para a produção e distribuição sustentáveis de café
bom fds grande em harmonia com o planeta ; )

01 outubro 2009

"mata-velhos"


começaram por ser conhecidos assim , agora, pelo menos aqui pela Linha, mudaram de faixa etária
« ... Findo o período de rodagem, de mil quilómetros, e para alívio dos adolescentes, os carrinhos entram numa oficina para serem trabalhados por mãos experientes, e saem de lá a dar 60 ou 70 quilómetros/hora.
A 'operação' ronda os 300/400 euros e não há quem não a faça. Afinal que jovem compraria um carro limitado a 45km/h?
Os pais não só pagam como assumem o risco. Nenhuma destas alterações é feita sem a assinatura de um dos encarregados de educação numa minuta. Muito menos quando a sugestão de trocar o motor de 400cm3, com que os microcarros ligeiros saem de fábrica, por um mais potente, é feita até pelos clientes. Custa mais de mil euros mas o pequeno quadriciclo de 350 quilos pode chegar aos 95 quilómetros/hora.
Um estudante de Ciências do Restelo, é um dos cinco alunos que vão de carro para as aulas. A pé, e a andar devagar, a vivenda onde mora com a mãe não fica a mais de três minutos de distância do liceu. E isto em linha recta. O que não impede o adolescente de sair com o pequeno Aixam cinzento-metalizado (pequeno de mais para os seus 1,80m), e percorrer uma rua. O pior é quando chega atrasado. "Os professores metem-se sempre comigo", conta
Alguns, como ele, guiam desde os 14/15 anos e nem sequer têm a carta de condução B1, obrigatória desde 2005 para guiar um quadriciclo. E que obriga a passar por uma escola de condução, fazer o exame de código e tirar 12 aulas práticas. Tal como centenas de adolescentes "A directiva europeia não obriga a inspeccionar este tipo de veículos", diz uma fonte do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT). ...»
e depois não digam que não somos nós os paizinhos que damos azo a que tudo isto aconteça
e depois estranhamos o "xicoespertismo" que grassa, a falta de civismo, etc, etc, em defintiva, os adultos rascas que ajudamos a formar
toda a notícia aqui