27 setembro 2017

Road Trip #3 - As fotos perdidas dos clichés e a simpatia do atendimento ao público


Nesta viagem encontrei a América com que convivemos através de todo o universo do cinema e televisão e gostei de a fotografar. São aquelas mensagens dos salmos à porta de uma das muitas igrejas dos variadíssimos cultos, os condutores barbudos nas Harleys, os enormes trucks, a população muito obesa ... ...  (fotos perdidas)
Mas também a enorme simpatia de todos os que atendem o público nas mais variadas profissões e que vai praticamente sempre além da noção firmemente arraigada de que nesta posição assim deverá ser. 
Há uma boca com humor ou a personalização do cumprimento ou um toque pessoal do sorriso e atenção que cada um nos presta. Entendo-a como uma manifestação da personalidade de cada pessoa, uma forma de expressão da sua criatividade. E sabe-me muito bem. Um sorriso até na insignificante tarefa de me explicarem onde está a prateleira das azeitonas que não encontro é apreciado e fico de bem com a vida quando entro num restaurante chic e comprovo a generosidade de espírito de ficarem com o meu lixo porque não há um puto caixote do lixo nos passeios ao longo de uns quantos quarteirões e carrego a embalagem da salada do almoço.
Há sempre uma alma caridosa que se presta a ajudar-me se eu estiver perdida só porque olhava para o mapa ou um curtido que me elogia o chapéu e quer posar para a minha foto - mas com estes topamo-nos mais frequentemente, dependendo da latitude cidade!

Os Canadianos are cut from a totally different (worst) cloth!!!

19 setembro 2017

08 setembro 2017