23 dezembro 2013

dia de chuva

e o que apetece mesmo é isto - to snuggle down

balanços e reflexões ...


mas que bem observado! Agora que chegamos ao fim do ano, para os que são dados a balanços e reflexões (eu é mais em Setembro), este pensamento pode ser um ponto de partida



20 dezembro 2013

It's beginning to look a lot like Christmas!


é verdade 
sem neve, nem lareira
com sol e mar

(Bing Crosby - voz fabulosa)

e o que mais ajuda, são as férias pela frente - smile, smile, smile


Fruta Feia e 2014 Ano Europeu Contra o Desperdício Alimentar


O projecto Fruta Feia -  a que não tem o aspecto perfeito em termos de cor e tamanho - tem como objectivo principal fazê-la chegar aos consumidores que não a julgam pela sua aparência. Assim se combate o desperdício dos recursos utilizados para a produção também destes "patinhos feios" e o do consumo.
Estão em campanha até dia 23 Dez. de recolha de fundos para a ajuda da criação de uma página web e contratação de um funcionário.
Vale a pena ler mais
Sobre como ajudar, aqui

Global Glue Project - para pensar






o dia em que acabou a crise

“O dia em que acabou a crise!
Quando terminar a recessão teremos perdido 30 anos de direitos e salários…
Um dia no ano 2014 vamos acordar e vão anunciar-nos que a crise terminou. Correrão rios de tinta escrita com as nossas dores, celebrarão o fim do pesadelo, vão fazer-nos crer que o perigo passou embora nos advirtam que continua a haver sintomas de debilidade e que é necessário ser muito prudente para evitar recaídas. Conseguirão que respiremos aliviados, que celebremos o acontecimento, que dispamos a actitude critica contra os poderes e prometerão que, pouco a pouco, a tranquilidade voltará à nossas vidas.
Um dia no ano 2014, a crise terminará oficialmente  e ficaremos com cara de tolos agradecidos, darão por boas as politicas de ajuste e voltarão a dar corda ao carrocel da economia. Obviamente a crise ecológica, a crise da distribuição desigual, a crise da impossibilidade de crescimento infinito permanecerá intacta mas essa ameaça nunca foi publicada nem difundida e os que de verdade  dominam o mundo terão posto um ponto final a esta crise fraudulenta (metade realidade, metade ficção), cuja origem é difícil de decifrar mas cujos objectivos foram claros e contundentes:
Fazer-nos retroceder 30 anos em direitos e em salários
Um dia no ano 2014, quando os salários tiverem descido a níveis terceiro-mundistas; quando o trabalho for tão barato que deixe de ser o factor determinante do produto; quando tiverem ajoelhado todas as profissões para que os seus saberes caibam numa folha de pagamento miserável; quando tiverem amestrado a juventude na arte de trabalhar quase de graça; quando dispuserem de uma reserva de uns milhões de pessoas desempregadas dispostas a ser polivalentes, descartáveis e maleáveis para fugir ao inferno do desespero, ENTÃO A CRISE TERÁ TERMINADO.
Um dia do ano 2014, quando os alunos chegarem às aulas e se tenha conseguido expulsar do sistema educativo 30% dos estudantes sem deixar rastro visível da façanha; quando a saúde se compre e não se ofereça; quando o estado da nossa saúde se pareça com o da nossa conta bancária; quando nos cobrarem por cada serviço, por cada direito, por cada benefício; quando as pensões forem tardias e raquiticas; quando nos convençam que necessitamos de seguros privados para garantir as nossas vidas, ENTÃO TERÁ ACABADO A CRISE.
Um dia do ano 2014, quando tiverem conseguido nivelar por baixo todos e toda a estrutura social (excepto a cúpula posta cuidadosamente a salvo em cada sector), pisemos os charcos da escassez ou sintamos o respirar do medo nas nossas costas; quando nos tivermos cansado de nos confrontarmos uns aos outros e se tenhas destruído todas as pontes de solidariedade. ENTÃO ANUNCIARÃO QUE A CRISE TERMINOU.
Nunca em tão pouco tempo se conseguiu tanto. Somente cinco anos bastaram para reduzir a cinzas direitos que demoraram séculos a ser conquistados e a estenderem-se. Uma devastação tão brutal da paisagem social só se tinha conseguido na Europa através da guerra.
Ainda que, pensando bem, também neste caso foi o inimigo que ditou as regras, a duração dos combates, a estratégia a seguir e as condições do armistício.
Por isso, não só me preocupa quando sairemos da crise, mas como sairemos dela. O seu grande triunfo será não só fazer-nos mais pobres e desiguais, mas também mais cobardes e resignados já que sem estes últimos ingredientes o terreno que tão facilmente ganharam entraria novamente em disputa.
Neste momento puseram o relógio da história a andar para trás e ganharam 30 anos para os seus interesses. Agora faltam os últimos retoques ao novo marco social: um pouco mais de privatizações por aqui, um pouco menos de gasto público por ali e “voilá”: A sua obra estará concluída.
Quando o calendário marque um qualquer dia do ano 2014, mas as nossas vidas tiverem retrocedido até finais dos anos setenta, decretarão o fim da crise e escutaremos na rádio as condições da nossa rendição.”

«magnifico texto de Concha Caballero. Convido-vos a tomarem consciência da assustadora realidade, convido-vos a pensarem se este futuro que está à porta é o futuro que querem para vocês, para os vossos filhos, para os vossos netos.
É nossa responsabilidade contrariarmos este caminho, é nosso dever transformar as palavras de Cocha em ficção e não permitir que destruam ainda mais o nosso futuro e o dos nossos.
Concha Caballero
Concha Caballero
Concha Caballero é licenciada em filosofia e letras, é professora de línguas e literatura. Entre 1993 e 2008 ocupou um lugar no parlamento da Andaluzia onde chegou a ser porta voz do grupo esquerda unida.
Deputada autonómica entre 1994 e 2008 foi uma das deputadas chave na aprovação da Reforma do Estatuto Autonómico da Andaluzia a que imprimiu um caracter mais social e humano do que, no principio, os grupos maioritários do parlamento pretendiam.
Actualmente colabora em diferentes meios de comunicação. Escreve sobre actualidade politica. Em 2009 publicou o livro “Sevilha cidade das palavras”.»

tirado do Notícias Online

uma foto, uma música #3

9 da manhã
10ºC
tive que dar a volta e parar

este mar, esta paisagem enche-me as medidas como poucas coisas


e tocava esta música
e foi um muito bom momento : )
um baita começo de dia



18 dezembro 2013

alguém já o disse e bem! #1




a Gata Christie escreveu assim:

«O Brad Pitt tem 50 anos e eu também já não me estou a sentir lá muito bem

O Brad Pitt faz hoje 50 anos. O Brad Pitt é lindo, lindo, lindo. É lindo de cabelo curto e de cabelo comprido. É lindo com a barba feita, com barba curta e com barba longa. É lindo a comer cachorros e a mascar pastilhas (o Brad Pitt come muito nos filmes). É lindo arranjadinho como Mr. Smith e desarranjadinho como no 'Clube de Combate'. É lindo a fazer de maluco como em '12 Macacos', a fazer de polícia bom em 'Sete Pecados Mortais', a fazer de pai complicado em 'A Árvore da Vida', a fazer de totó em 'Destruir Depois de Ler' e até a fazer de vampiro (e só não é lindo a fazer de velhinho naquela estopada que é o caso do benjamin button porque acho que aí era mesmo impossível). O Brad Pitt é lindo vestido à hippie com os filhos todos a tiracolo e é lindo quando põe o smoking e desfila na passadeira vermelha ao lado da boazona da Angelina. E até quando é assim um bocadinho piroso continua a ser um bocadinho lindo. O Brad Pitt tem um sorriso que é qualquer coisa, entortado, de maroto. E tem uma cara de bebé a quem apetece dar colinho mas ao mesmo tempo aquele ar de homem a quem apetece dar outras coisas (o que não é nada o caso do Leonardo Di Caprio, que só tem cara de bebé e pronto, tadinho). Também não percebo como é que alguém pode achar que o George Clooney é mais lindo do que o Brad Pitt. O George tem charme, que tem, é um sedutor à la James Bond. Mas não é lindo. Não tem aquele corpo nem aqueles olhos nem nada daquilo que o Brad lindo tem, ok? E além de ser lindo o Brad Pitt é bom actor, digo eu, com a objectividade que me é possível. Não conheço nenhum actor vivo que seja mais bonito do que o Brad Pitt. Podem dizer-me que é uma escolha geracional e se calhar é. Se calhar há montes de miúdos de 20 anos lindos de morrer a entrarem em filmes que eu não vejo. Não quero saber. Assim de repente para fazer concorrência ao Brad Pitt só me ocorre o Ryan Gosling. Mas vamos ter que ver como é que ele envelhece.
O Brad Pitt tem 50 anos. E até já tem pêlos brancos na barba. E, apesar de ele ser lindo, isso é um bocadinho deprimente, não sei se me compreendem.»
e eu disse-lhe:
concordo com tudo, sem tirar nem por, assino por baixo!
Acho que desde o Paul Newman (e este não era da nossa geração, mas tb não era preciso) que não havia assim nenhum homem tão lindo e bom actor!
Deprimente ele ter feito 50 anos? ... acho que não. Eu fiz 51 e gosto que ele envelheça ao mesmo tempo que eu, sei lá, assim como dois bons amigos ;)

Provando-o:
de cabelo comprido ... aiiiiiiiiiii uma delicia

de cabelo rapado, marcha na mesma!

de óculos, ...aiiiii.... suspiro ...

de cabelo curto: ... sem palavras ...


vou parar, estou a sentir uma ligeira arritmia ... inté


11 dezembro 2013

o melhor do meu dia

... ... ...
tem sido mesmo um exercício de perseverança e optimismo na última meia dúzia de dias encontrar algo bom no que me fixar e que me dê esse boost para adormecer, se não a sorrir, pelo menos com a ideia de que há momentos/acontecimentos positivos
não têm sido dias maus, mas o problema nem é esse (shame on me!), ou é mesmo esse!
mornice, ni fú ni fá
e o objectivo era,e  É, este: trazer à consciência qualquer coisa de bom, porque os há sempre!
o copo pode estar meio cheio se me focar nesses momentos/acontecimentos

(temo os dias que poderão vir pela proa sem esta luz que me alimenta o positivismo - e refiro-me mesmo ao sol)


brunch - novo menu

brunch do dia de decorar a árvore de Natal
dia de espalhar a confusão colorida que sai de todas as caixas
dia de entrañables (*) recordações de infância


folhadinhos de salsicha - perdição dos homens lá de casa
e outros de carnes várias (presunto, chouriço e bacon) e queijo


adoro salmão fumado!


pão brioche, feito chez nous com doces de figos vários feitos pela amiga Carla (o que tem gengibre e limão é um espectáculo!)


piéce de resistence, seguindo a receita que a Catarina publicou


e que bom que estava!!!



(*) é como a «saudade», não há tradução, fica curta, curtíssima



10 dezembro 2013

demasiado


umbigo à minha frente! ou seja, demasiado egocêntrica
mas como resolver as questões se não virada para dentro?
será para ir resolvendo? ... já não posso demorar muito mais o !muerta en el intento!
... ... ...
repetir à exaustão os mantra de happiness is a choice e o mantém a perspectiva
recordar de dar pequenos passos, pensar em metas de curto prazo e não se deixar abismar pelo tamanho do passado e o peso do futuro
ok, 'bora lá

09 dezembro 2013

lunch time




em linha recta
a escassos 10 min.
há tanto que aqui não vinha!



deslumbro-me habitualmente com a paisagem de lá para cá


tão simples, tão perto e o bem que me faz!


06 dezembro 2013

05 dezembro 2013

to love is to jump with both feet



ou, como se diz por cá, é atirar-se de cabeça
e, obviamente, ficar vulnerável
(problemático...)



(in  A maçã de Eva )

não fui correr ao ginásio




fui andar
e pensar na vida
e apreciar a beleza que me rodeia
e perceber que o sol está forte p'ra xúxú pois dia 5 Dez. a manga curta sabe bem!




04 dezembro 2013

Before they pass away



o projecto e livro "Before they pass away" do fotógrafo Jimmy Nelson





Nenets - Rússia

o resultado de uma viagem, fascinante,  por esse mundo a fora para conhecer várias tribos isoladas antes que elas desapareçam ...



Samburo - Quénia

Somos uma espécie do caraças, para o bom e o pior!

02 dezembro 2013

mas que fim-de-semana!

... foram-se os anéis ... ficam os dedos - graças aos deuses - todo inteiro, connosco, como deve ser


e a partir de aí, foi sempre a melhorar
o prazer de tricotar - relaxante
o prazer da nossa casa onde nos sentimos tão bem e tão quentinha que estava
o sol, a ida de mota, as amigas
o D. sempre generoso no Banco Alimentar


a minha cómoda que vai ficar liiiinda
a visita dos pais
o prazer do H, a sua música e amigos
o brunch sonhado e que saiu 5 ***** com o prazer da companhia acrescida do P
a escolha de mais uma árvore de Natal muito bonita
o acender da vela do 1º domingo de advento com a família