28 julho 2008

íncrível como a minha escrita é de humores também!
como tem sentido começar com minúsculas, não fazer ponto final mas mudar de linha
detalhes que não modificam nem o ritmo, nem a entoação, nem o sentido das palavras eleitas que alguém possa ler, mas que para mim, tudo significam e por isso se justificam (sorriso)
mas não faz mal, escrever é raciocinar, pôr as ideias em ordem e dasabafar
e é por isso que acaba sempre tudo no lixo - que não é o mesmo que o blog, atenção!
(em tempos havia O Livro em Branco - está muito escrevinhado, mas depois tenho pudor...)
...já o meu vestir era, e continua a ser totalmente de humores
eu sei lá como vou acordar amanhã, se me vai apetecer verde ou castanho, calças ou saias, altos ou rasos?! e fazer malas?! ganda nóia...
e depois as carteiras têm que ser mais que muitas de todas as cores e os saptos não dão para fazer turismo de 7 horas a pé e de pé, e os ténis não "pegam" com montes de calças... uma grande dificuldade!
se olhar retrospectivamente para o menú dos jantares lá de casa, constato que as melhores sopas e cozinhados (sobretudo os inventados) provêem também dos dias de melhor humor.
Consequentemente,
bom humor > creatividade
infelicidade > muita escrita, rotina à mesa e mais uma na multidão

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A mudança de humores faz bem à vida. Tudo muito certinho, muito organizado, não tem piada nenhuma!

Maria, Simplesmente disse...

Humor!... o que pouca gente consegue ter.